Exames

Especialidades
EXAME DE PATERNIDADE

O avanço do conhecimento na área da genética molecular permitiu o desenvolvimento e aprimoramento de exames na área forense (identificação humana) e investigação de paternidade. A investigação de paternidade pela análise de DNA também conhecida como exame de vínculo genético ou simplesmente teste de DNA é um exame que se tornou quase obrigatória nas ações jurídicas extra judiciais e casos amigáveis onde existem a necessidade de se estabelecer com máxima confiança a paternidade de um indivíduo. Estes exame é também realizado para o estabelecimento de vínculo genético entre pessoas falecidas, trocas de recém-nascidos em maternidades, identificação de indivíduos a partir de restos mortais e perícias criminais como casos de estupros e assassinatos. A investigação de paternidade é realizada pela análise de DNA com técnicas modernas baseadas na amplificação do DNA por PCR e leitura a laser de mais de 16 regiões analisadas simultaneamente que garantem total confiança nos resultados obtidos.

ANATOMIA PATOLÓGICA

Anatomia patológica consiste na análise macroscópica em conjunto com a microscopia de órgãos, tecidos e células na busca pelo diagnóstico de patologias e pelo entendimento das transformações sofridas por estas estruturas em cada quadro patológico. O profissional que atua nesta especialização é o patologista. Atualmente no Brasil, os profissionais de Biomedicina em medicina estão aptos a essência da função de patologias mediante especialização/residência após o término da graduação.

Como já sabemos, anatomia trata do estudo macroscópico de todos os orgãos de um organismo. Em determinados casos, ocorrem lesões ou modificações visíveis na estrutura destes que permite correlacionar com alguma patologia. Também existe a necessidade de uma análise histológica por meio da microscopia para detectar e avaliar alterações à nível celular que possam ter ocorrido neste órgão ou estrutura, o que ocorre principalmente por meio das análises e testes imuno-histoquímicos.
Esta relação de macro microscopia torna o trabalho da anatomia patológica importantíssima na análise e emissão de laudos que determine as patologias presentes em um paciente que possa a partir disto, determinar-se qual o melhor tratamento a ser aplicado. É importante também em autópsias que determinam a causa da morte de um organismo pela análise de suas estruturas, podendo determinar qual a patologia ou quais os fatores que levaram ao óbito. A patologia experimental permite também o avanço dos estudos no tratamento de doenças por meio da pesquisa.

ANÁLISES CLíNICAS

A patologia clínica e a medicina laboratorial fornecem de maneira significante o maior número de informações e dados científicos objetivos para o atendimento, registro médico em arquivo de dados do paciente em qualquer a qualquer outra fonte. Espera-se que neste novo milênio todos os nossos pacientes venham a ter todos os registros médicos informatizados por toda sua vida (RMT) tornando essas informações mais acessíveis e facilmente disponíveis para as revisões e análises. Os registros gráficos revelando tendências de longo prazo devem facilitar os resultados das conclusões e a melhor utilização dos dados laboratoriais. As principais aplicações das resoluções e dos exames laboratoriais continuarão existindo no controle clínico e terapêutico e no monitoramento dos pacientes (aproximadamente dois terços).O restante será utilizado principalmente para confirmação ou exclusão de diagnóstico e para busca de casos ou rastreamento para a detecção precoce da doença ou de fatores de risco em indivíduos assintomáticos.Objetivando promover a saúde; finalmente, essas conclusões serão utilizadas para estabelecer o prognóstico e a magnitude ou, ainda, a extensão da doença existente.
O funcionamento de um laboratório clínico e a disponibilização eficaz do serviço aos médicos, pacientes e ao público exige uma inter-relação complexa entre especialistas na área médica, científica e técnica; recursos na forma de pessoal, equipamento de laboratório e processamento de dados, instalações; e habilidades de organização, gerenciamento e comunicação.Toda a equipe do laboratório, particularmente as pessoas envolvidas com liderança e gerenciamento, deve estar atenta a legislação vigente estabelecida pelos órgãos competentes para credenciamento e execução de prática de conduta relacionadas não apenas aos serviços de laboratório mas também ao gerenciamento da equipe, à administração financeira e às práticas de marketing.

TOXICOLOGIA

:: EXAMES TOXICOLÓGICOS PRÉ ADMISSIONAIS E PARA DESLIGAMENTO
DE MOTORISTAS CLT DAS CATEGORIAS C, D e E E PARA CONCURSOS. ::

A Lei dos caminhoneiros, exige a realização de exame toxicológico de larga janela:
- Na habilitação e renovação das CNHs das categorias C, D e E
- Na pré-admissão e no desligamento dos motoristas CLT

A partir de março de 2016 os exames toxicológicos de larga janela de detecção são obrigatórios nas empresas conforme a lei federal 13.103 de 2014, devidamente regulamentada pelo Ministério do trabalho. Ele é extremamente complexo, exige alto nível de acreditações e demanda suporte técnico especializado. Esta lei reduz drasticamente o risco nas estradas e traz maior segurança para empresas contratantes de motoristas, ao dificultar a contratação e habilitação de motorista usuários de drogas ilegais estimulando os abandonar esta perigosa prática. Atenção em caso de acidente as seguradoras podem negar indenizações mediante a constatação do uso de drogas ilícitas. A posse de um laudo toxicológico protege seus direitos.O que são exames toxicológicos de larga janela: Os exames toxicológicos de larga janela realizados por meio de amostras de cabelo/pêlo são os mais eficientes e precisos meios de detectar usuário de drogas. É a ciencia por trás dos exames.

Quando uma droga é consumida ela é transformada em subprodutos (metabólitos) específicos pelo fígado. Esses metabólitos circulam pela corrente sanguínea que alimenta os bulbos capilares. A droga então é aprisionada pelos cabelos ou pêlos que estão sendo formados. Usando uma pequena quantidade de cabelos ou pêlos cortados próximos a base conseguimos verificar a presença desses metabólitos no interior da haste. Estes metabólitos quando presentes são confirmados e quantificados por processos sofisticados e completamente seguros. Não há possibilidade de falsos-positivos.

SEXAGEM FETAL

O sexo do feto pode ser conhecido já durante a gestação. Atualmente técnicas moleculares de última geração permitem determinar com segurança o sexo do feto a partir da 8ª semana de gestação. Sabendo que homens possuem a presença dos cromossomos XY com marcador genético do sexo masculino e mulheres o marcador XX, faz-se ainda a identificação molecular, na amostra, de uma sequência do cromossomo Y, presente apenas no sexo masculino. O exame conhecido como Sexagem Fetal pesquisa no sangue da mãe a presença do cromossomo Y fetal, utilizando a técnica de biologia molecular conhecida como PCR (Polymerase Chain Reaction) em tempo real. Estudos demonstram que entre a 11ª e a 17ª semanas de gravidez, aproximadamente 3,4% de todo o DNA presente na circulação materna é de origem fetal. Com o avançar da gravidez, a quantidade do DNA fetal na mãe aumenta, chegando a representar 6,2% entre a 37ª e a 43ª semanas gestacionais. Segundo Levy et al (Tabela Abaixo) a determinação do sexo do feto por biologia molecular a partir da 8ª semana tem 98,2% de índice de acerto.



Todos os Direitos Reservados